segunda-feira, 30 de abril de 2012

Sabor da madrugada (modificado)

Uma madrugada é um despertar carregado de nitidez, de sabor, de som, de peso e forma. Toda vez que uma noite despenca sobre o sol, a serenidade começa a transbordar de dentro para fora de tudo e todos, até seu próprio limiar de trevas, entre a morte do sol e a ressureição do mesmo,

Cabelos Dourados - Eu ganhei uma música \o/

video

Resposta ao "lados, que lado tem?"

E no meio de uma conversa, desabafo humano, recebi o seguinte: Mas de todo nada se perde, e da força da intenção

Lados que lado tem?

Meus olhos já não o enxergavam da mesma maneira
a intensidade a qual o transmitia estava diminuindo
seu interesse diminuira e sua paixão retrocedendo
seu corpo já não esquentava mais

Sabor da madrugada

Uma madrugada é um despertar carregado de nitidez, de sabor, de som, de peso e forma.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Abra a porta, medo!

- Toc, toc.. A paixão quer entrar. - Mas ela pode desarrumar tudo aqui. Bagunçar meu coreto. - Apenas abra. Sinta seu coração bater de novo. Sinta a emoção que ela pode te trazer. É na bagunça que a gente acha o que quer guardar e o que não. Ela pode te ajudar, já pensou? - Mas e se machucar? - Você só vai saber, se se deixar ser livre de você. Afinal, você ainda tá vivo!

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Não tem título hoje.. rs

Achei que não tivesse muito bem hoje pra escrever, apesar da felicidade que sinto.
Mas sei lá, passa tanta coisa na minha cabecinha.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Resposta a minha pergunta

Há alguns dias eu postei um texto que falava sobre o que eu achava, queria mas tinha medo do que poderia vir. E tava sem resposta. (http://intensoseria.blogspot.com.br/2012/04/o-que-buscavamos-o-que-achamos.html)
Então a resposta foi enviada hoje, pelo dono do meu coração.

Surpreendam-se:

"O medo as vezes traz o respeito esperado e a incerteza necessária que nos faz ser mais ou desistir.
O medo silencia o marasmo e desperta a reação de defesa ou ataque a ser tomada.
O medo de perder algo amado nos reapresenta os valores fundamentais de respeito, fidelidade e parceria.
O medo e o antônimo da segurança e sem ele a segurança perderia o sentido de ser.
Ter medo representa pensar no quanto seria bom ter segurança e o quanto ela e necessária para sermos felizes."
G.O.

Eu o conheço e não é sonho!

E parecia mesmo que o conhecia de outros carnavais. Aquele sorriso não era estranho. Já tinha sentido aquela alma e tocado naquele coração.

terça-feira, 17 de abril de 2012

Nua e crua

A vida nos prega peças, mas com cada peça a gente vai montado nosso quebra-cabeça.
O meu vem sendo montado a cada dia, cada pecinha, umas foram colocadas erradas, outras estão onde tinham que estar. E ultimamente as peças vêm se encaixando, numa perfeição tão incrível e sublime que parece que as peças Tb estão “curtindo” estarem ali.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Extraterrestre.

Ele tinha olhos inocentes, que suplicavam um pouco de paz.
Olhos tristes que só queriam utilidade.

O que buscávamos? O que achamos?

Você só procurava um abrigo, uma segurança, uma paz. E eu só procurava um olhar.
Você só procurava sinceridade, verdade e saudade. E eu só procurava meus olhos em você.

O que iluminou meu caminhar


Nada nele me parecia urgente, apenas o sorriso aberto feito um abraço ansioso. Tem olhos que parecem dois punhados de certeza da beleza das coisas.

- Paulo Coelho

“Sempre existe no mundo uma pessoa que espera a outra, seja no meio de um deserto, seja no meio das grandes cidades. E quando estas pessoas se cruzam, e seus olhos se encontram, todo o passado e todo o futuro perde qualquer importância, e só existe aquele momento.”

- Paulo Coelho.

Toque em mim

Quem sou eu?


eu sou eu, isso que poucos conhecem, essa que pouco enxergam
ñ escondo nada, pelo contrário, mostro fraquezas e fragilidade
ñ ligo p status e ñ tenho medo de expôr os meus defeitos
ñ tenho mt medo de mudanças, mesmo que elas me surpreendam ou assustem um pouco, mas não tenho. tenho medo de ter minha família me dando as costas. mesmo que isso custe minha felicidade. e sei q é errado. to tentando mudar p ñ vê-los assim, mas está difícil deixar certas coisas pra trás.
não tenho muitas vergonhas de verdade. não tenho vergonha do corpo, não tenho vergonha de expôr sentimentos, nem vergonha de mostrar a Natasha. Tenho vergonha moral. De fingir ser quem não sou. Vergonha alheia de máscaras que caem. Vergonha de errar com pessoas que gosto e vergonha de ser acomodada pra correr atrás da minha felicidade.

Coisas do coração



Por : Davy Bogomoletz




1 - O apaixonamento patológico, em que uma pessoa busca numa outra a reconstrução de uma díade onde fundir-se, a fim de novamente buscar a integração.
2 - O apaixonamento que eu chamaria ‘momentâneo’, que ocorre entre pessoas mais amadurecidas, com um eu integrado e estabelecido onde o estado de maravilhamento inicial, em vez de levar à paixão patológica, leva ao amor.
3 - E o estado chamado propriamente ‘amor’, onde duas pessoas se apóiam mutuamente não porque se necessitam para ‘tornarem-se pessoas".




O tema da paixão, como um fenômeno estreitamente relacionado ao do amor, a ponto de muita gente tomar um pelo outro sem muito refletir, vendo na paixão apenas uma forma mais ‘viva’, mais ‘colorida’, mais ‘cheia de graça’ que o amor, merece mais do que a entusiasmada torcida de um certo grupo de profissionais da psicanálise, movidos que são, justamente, pelo ‘entusiasmo’. Curiosa a presença desse termo neste contexto, já que seu sentido etimológico é ‘possuído por um deus’, em grego. A pergunta ‘o que têm os deuses a ver com isto’ é algo que tentarei explicar mais adiante. Em todo caso, sinto nessa questão o cheiro de mais uma presença: a de um rei, ou imperador, um certo Guilherme, o famoso Wilhelm Reich, o Rei do Orgasmo...

O relacionamento entre duas pessoas pode ter dois objetivos: 1 – uma delas dá apoio à outra. 2 – ambas se apóiam reciprocamente. Nos dois casos podem, a meu ver, acontecer fenômenos geralmente chamados de ‘amor’ ou de ‘paixão’, conforme o caso, e essa já é uma primeira diferença entre as duas classificações. Isto porque o termo ‘paixão’ geralmente implica um envolvimento não só mais intenso, como muitas vezes mais unilateral que o termo ‘amor’, em que não se trata tanto de uma necessidade de receber apoio, quanto de um sentimento mais generoso e menos ligado à idéia de ‘necessidade’.

Um dos aspectos que gostaria de apontar aqui é o de que, quanto a isto, entre ‘amor’ e ‘paixão’ há mais uma diferença de quantidade que de qualidade: em certo sentido, constituem um contínuo. Por um lado, é possível dizer que ‘amor’ implica um fenômeno mais ameno, mais sereno, e por isso mesmo mais duradouro que a ‘paixão’, geralmente mais tempestuosa. Por outro, gostaria de sugerir que nenhum dos dois fenômenos é destituído de ‘necessidade’: tanto a pessoa que ama quanto a pessoa apaixonada necessitamda outra pessoa, mesmo quando se trata de um amor em que uma pessoa adulta cuida de uma criança. Se há amor, há necessidade, este é um dos corolários do que desejo descrever aqui. A diferença, então, seria dada pelo grau dessa necessidade.



http://refletiroamor.blogspot.com.br/

...


‎"Eu tenho um milhão de motivos pra fugir de pensar em você, mas em todos esses lugares você vai comigo. Você segura na minha mão na hora de atravessar a rua, você me olha triste quando eu olho para o celular pela milésima vez, você sente orgulho de mim quando eu solto uma gargalhada e você vira o rosto se algum homem vem falar comigo. Você prefere não ver, mas eu vejo você o tempo todo."
Tati Bernardi

Abraço




Sentir seu corpo perto do meu, só de sentir seu calor, deitar em seu peito e sentir segurança, me dá o maior conforto que posso ter.

"Afinal, onde é o melhor lugar do mundo.
Num abraço"

— Clarice Lispector


Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre

‎"Desejo cada sorriso seu como minutos meus de sossego. Sossego que eu não sinto se você não está."

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Uma música que fala por todo sentimento




No more talk of darkness,
forget these wide-eyed fears;
I'm here, nothing can harm you,
my words will warm and calm you.
Let me be your freedom,
let daylight dry your tears;
I'm here, with you, beside you,
to guard you and to guide you.


Say you'll love me ev'ry waking moment;
turn my head with talk of summertime.
Say you need me with you now and always;
promise me that all you say is true,
that's all I ask of you.


Let me be your shelter,
let me be your light;
you're safe, no one will find you,
your fears are far behind you.


All I want is freedom,
a world with no more night;
and you, always beside me,
to hold me and to hide me.


Then say you'll share with me one love, one lifetime;
let me lead you from you solitude.
Say you need me with you, here beside you,
anywhere you go, let me go too,
that's all I ask of you.

Say you'll share with me one love, one lifetime.
Say the word and I will follow you.

Share each day with me, each night, each morning.

Say you love me...

You know I do.

Love me, that's all I ask of you.

Anywhere you go let me go too

Love me...
that's all I ask of you.

T.P.of T.O

Descomplique a vida

Eu acho engraçado como encontro pessoas hoje em dia que dizem que querem um amor, uma romântica, legal, amável e carinhosa.
Mas não posso deixar de falar que também querem isso, mas sequer fazem um esforço para serem assim. O que é, virou moda fingir que se interessa e que está buscando coisas em alguém, se no fundo ainda pensa em se divertir?
Como você pode querer que alguém entre na sua vida se você não permite?
Como você pode querer que alguém te queira, se você perde várias oportunidades para tê-la com você?
Se você não se entregar um pouco, não colocar a pessoa na sua vida, não conviver, não aprender a lidar com erros, defeitos e qualidades, nunca vai saber se pode ou não ser ágüem pra você. Mas pra isso, você tem que conviver.
Quer festa, animação, diz que tem neuroses, medos passados, uma certa frieza ronda, mas não pensa que o tempo ta passando. Os anos vão passando, os cabelos passam a ganhar novos tons de branco, a euforia vai se esvaindo, a “preparação física” diminuindo e as oportunidades ficando menores. Tudo bem que se você quiser ser um “Tio Sukita” continue nessa onda, fique mesmo sozinho (quando digo sozinho, digo sem uma companheira, e não uma peguet) até ficar corotinho (coroa + garotinho= corotinho), só que, pegar menininhas também tem prazo de validade. Acredite.

Ninguém é tão frio, bloqueado, medroso ou “garanhão” que não queria uma pessoa ao lado, mas se você não prestar atenção e se abrir um pouco mais pra vida, pras pessoas que aparecem pra você, se não der oportunidade e chances pra que elas mostrem o melhor delas, você com certeza será mais um “Tio Sukita” do pedaço. É isso que você quer?
Já não sinto mais vergonha de dizer que sinto saudades, que quero ver, que é gostoso estar junto, não tem mais essa onda de não ligar, de querer que o outro ligue no dia seguinte. Não. Faço o que eu to com vontade mesmo. Afinal, as outras pessoas também querem se sentir desejadas, queridas e adoradas. Por que não ligar? Por que não se importar? Por que não deixar a pessoa também se sentir adorada, querida? Aliás, todo mundo quer isso.
Deixe as pessoas entrarem na sua vida, chegarem em você, quand digo chegarem, é simplesmente te conhecer, da onde você veio, da sua família, dos seus amigos. Não perca mais oportunidades.
O amor pode acabar sim, mas a capacidade de amar não. Se você realmente acha que tem essa capacidade ainda, abre as portas do seu coração e seja feliz. É tão pouco pra de repente uma valiosa felicidade entrar em você por anos a fio.
Pense nisso.
E pra terminar, #ficaadica. ;)

terça-feira, 10 de abril de 2012

eu quero sempre mais...

Te mostrar um mundo novo, com meus olhos é possível.
Fazer vc sentir a mesma emoção que eu, qnd te toco, qnd falo ou te olho é possível.
Tudo é possível quando se quer.
Basta uma pequena entrega.
Sabe Deus o que pode acontecer, mas o que me surpreende é que não temo.
Nenhum minuto.
Eu quero é mais e cada minuto mais.
E sempre mais. Mais perto, mais junto, mais certo, mais fácil, mais aberto e maior...
Mostrar que vale a pena, que vale sentir, sem se doer.
Que vale lutar, que vale acreditar e esperar.
Quero mostrar que você pode ser pra mim, que eu posso ser pra você. Que nós podemos ser.
Mostrar que você entende meu olhar, que eu entendo seu jeito e que a gente se gosta assim.
Mostrar que eu posso te fazer feliz e que você pode me ter verdadeira.
A entrada nessa festa foi triunfal, de uma maneira que não haverá saída.
Seja pra mim, que eu serei pra você.
Don´t think twice, It's all right. ;)

segunda-feira, 9 de abril de 2012


Quando se está feliz, só se enxerga borboletas!

Verdadeira essência!

Quem lê meus textos deve pensar que meus sentimentos oscilam muito.
E sim, pode ser verdade.
Sou uma pessoa que sempre que "tomo na cara" acabo esquecendo ou não querendo mais acreditar em amor, felicidade com alguém e bláblá.
Mas sempre aparece um jeito de Deus colocar uma ponta de esperança no meu coração.
E é verdade, mais uma vez esperançosa.
A gente vai ficando sim um pouco mais amarga ou mais fria conforme o tempo vai passando, mas às vezes vc vê que não vale à pena ser quem se tornou com o tempo e sim, voltar a ser como era. Carinhosa, atenciosa, amorosa e preocupada.
Pode ser que valha a pena, como pode ser que não valha.
Mas não perder a essência é o que vale.
Uns vão gostar desse jeito, outros não vão dar valor. Acontece com td mundo.
Mas agora, nessa hora, eu sei que to expondo o que sinto, sendo nua e verdadeira e parece que ta td sendo recíproco.
Gostar de alguém diferente do que vc já teve, querer alguém por perto é tão bom, que mesmo que amanhã eu sofra, que nem das inúmeras vezes que aconteceu, eu não fingi ser quem não sou.

sábado, 7 de abril de 2012

Fazer sorrir

Tenho pensado tanto em achar a pessoa certa, aquela que vai me fazer feliz por todos os dias da minha vida e todo lenga-lenga que a gente quer. Claro! Queremos direito, queremos 100%, não queremos nunca pela metade!
Mas sabe de uma coisa? Às vezes, quando você me nos espera, por mais defeito que tenha, aparece alguém que vai te fazer sorrir.
Aparece alguém que por poucos instantes, mesmo sem estar apaixonada, vai te fazer sentir melhor. Alguém que você tem vontade de dar "bom dia" ou "boa noite".
Aquele alguém que você quer que pense em você pelo menos uma vez no dia.
E você não precisa querer esperar por todas as qualidades pra ver o quanto é bom sorrir. O quanto é bom te fazerem sorrir. Você vai enxergar que as coisas boas da vida vem dos menores e singelos gestos. Das mais doces palavras, dos mais simples carinhos.
Vai descobrir que mesmo não tendo alguém, mesmo não dependendo do amor de alguém, você pode sorrir com alguém e por alguém.
Porque felicidade é isso, é sorrir. Poder sorrir a todo e qualquer momento. Seja lá o motivo que te fez ficar assim.
Os meus são simples, mas são intensos.
E vou levanr do jeito que dá, porque não quero parar de sorrir agora, "quiçá" parar alguma hora.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Banalizaram o amor

O significado da palavra romantismo, hoje em dia, se transformou em conquista barata para o aproveitamento carnal.
Flores, presentes, conquista, filmes no frio, pipoca no cinema têm sido cada vez mais extintos diante das pessoas sem valor.
O amor a gente sente, mas os traumas anteriores são tão fortes, que até senti-lo está "fora de moda".
O que eu chamo de lindo, muitas pessoas hoje chamam de brega.
Então eu AMO o brega. Amo carinho, beijos e abraços.
Amo o 2, o casal, o frio com filme, o cinema com pipoca e até mesmo o compartilhamento de dores, trsitezas e alegrias.
É raro achar pessoas com essa mesma vontade, mas muitas vezes, quando se acha, vê pessoas sem respeito e valores.
O que acaba tornando o relacionamento sem respeito e valor e estraga o que deveria ser lindo e torna o lindo em pesadelo e desconforto.
Hoje em dia, o tratar bem, ser amiga ou companheira, também é mau visto, por disputa de interesses.
E que me deixa mais triste, é que apesar de sbaer que não sou a única nem última romântica, não consigo acreditar ainda que a existência das outras últimas românticas não apareçam pelo medo de tentar ou pelo medo da entrega.
O amor foi banalizado. Infelizmente!
Sendo nós, as últimas românticas, deveríamos ao menos tentar mostrar aos alheios, que sim, existe o bom do sentimento, mas não podemos fazer sozinhas. O outro lado tem que ajudar.
Chega de egocentrismo, eu ainda acho que é impossível ser feliz sozinho. Sou brega?